Encontro de Turismo de Base Comunitária e
Economia Solidária - ETBCES

Sábado
20/Janeiro
Obtendo tempo... 00º C


O Encontro de Turismo de Base Comunitária e Economia Solidária (ETBCES), a Mostra de Cultura e Produção Associada ao Turismo e à Economia Solidária (MCPATES), Feira de Meio Ambiente e Saúde (FMAS), teve sua primeira versão de um dia, em 6 de julho de 2011, com participação de 370 pessoas.

Frente à demanda das comunidades populares e acadêmicas, ampliou-se para 6 dias, sendo de 3 a 8 de julho, em 2012, reunindo 607 participantes; e de 10 a 14 de julho, em 2013, contando-se com participação de 606 pessoas. Essas três edições foram realizadas na UNEB, Campus I, mas diante do contexto e condições socioeconômicas do público-alvo, decidiu-se realizar o evento de forma itinerante pelos 17 bairros onde vêm sendo desenvolvido projeto de pesquisa-ensino-extensão.

Em 2014, foi realizado durante 5 dias na comunidade de Pernambués por sugestão dos grupos que vêm participando das atividades de pesquisa, ensino e extensão realizadas pelo referido projeto. Neste ano, o encontro foi abraçado pela comunidade de Pernambués, o que permitiu uma maior aproximação entre a academia e as populações dos bairros populares, contando-se com a presença de 1.116 pessoas. Assim, teve-se como sede o Colégio Estadual Ministro Aliomar Baleeiro, localizado na Rua do Saturno s/n. Pernambués, Salvador- BA.

Em 2015, entre 12 e 16 de agosto, no bairro do Beiru, realizado no Colégio Estadual Zumbi dos Palmares, reunindo aproximadamente 1.500 participantes. Neste ano, pela primeira vez tivemos apresentação de trabalhos que foram publicados.

Em 2016, o VI ETBCES ocorreu no Colégio Estadual Márcia Meccia, no bairro da Mata Escura, de 9 a 13 de novembro.

Durante essas edições executou-se Roteiros Turísticos Alternativos, Responsáveis, Sustentáveis e Solidários - RTUARSS, previamente organizados pelos moradores dos bairros a partir do segundo encontro aos dias atuais.

Público-Alvo

O ETBCES é aberto para professores, estudantes, lideranças comunitárias, artistas, pesquisadores locais e residentes das áreas delimitadas pelo projeto Turismo de Base Comunitária – TBC Cabula: Arenoso, Arraial do Retiro, Beiru, Cabula, Doron, Engomadeira, Estrada das Barreiras, Fazenda Grande do Retiro, Mata Escura, Narandiba, Novo Horizonte, Pernambués, Resgate, Saboeiro, São Gonçalo do Retiro, Saramandaia e Sussuarana - e de outros bairros.

É de interesse de profissionais representantes de diversas áreas, órgãos públicos e privados, de organizações não governamentais, do terceiro setor, de empreendimentos de economia popular e solidária, e de comércio justo.

Nos Quadro 1 e 2, observa-se número reduzido de professores e estudantes da educação básica, público relevante para o referido projeto. Em 2014 esperava-se em torno de 1.000 pessoas, com percentual elevado das escolas municipais e estaduais situadas nos bairros delimitados pelo TBC Cabula.

Quadro 1. Público Esperado e Efetivo, 2011, 2012, 2013 e 2014.

Fonte: Elaborado pela coordenadora do Projeto TBC Cabula, 2012, 2013 e 2014

A partir de 2014, o ETBCES passou a ser realizado fora da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, por demanda das populações dos 17 bairros, que disponibilizaram espaço para o evento. Observa-se aumento considerável da participação de professores e alunos das redes municipal e estadual.

Quadro 2. Público Esperado e Efetivo, 2015, 2016, 2017 e 2018.

Fonte: Elaborado pela coordenadora do Projeto TBC Cabula, 2015, 2016, 2017 e 2018.

Principais Contribuições Científicas, Tecnológicas ou de Inovação do Evento

Ao longo de sete anos, o evento tem contribuído de forma significativa na visibilidade do locus de pesquisa, ensino e extensão do projeto TBC Cabula, que até então era desconhecido e marginalizado socialmente. Por meio das produções de pesquisadores locais, de iniciação científica júnior, iniciação científica e extensão, graduandos, mestrandos e doutorandos, sobre turismo de base comunitária, desenvolvimento local, cooperativismo popular, economia solidária, receptivos populares, roteiros turísticos urbanos alternativos, em formatos de livros, capítulos de livros, artigos científicos, pôsteres, cartilhas, monografias, dissertações e teses.

Outro aspecto a considerar é a forma participativa dessa produção que articula saberes e fazeres das comunidades de prática dos bairros populares circunvizinhos da Uneb, e da academia. Vale mencionar alguns conteúdos interativos, a exemplo da  elaboração do Museu Virtual do Antigo Quilombo Cabula, a Rádio Web Juventude, os Jogos Role Play Game, acervo digital do Terreiro Tumbenci adotando-se a abordagem metodológica Design-Based Research (DBR). Estes conteúdos já vêm sendo aplicados nas escolas das redes estadual e municipal, nos Centros de Educação Profissional, parceiros do projeto TBC Cabula, vinculados ao Grupo de Pesquisa Sociedade Solidária, Educação, Espaço e Turismo (SSEETU).

A construção de conhecimento com as comunidades com a participação efetiva destas na formação sobre a sua história, seus antepassados e o legado deixado para as novas gerações repercute no envolvimento cada vez maior dos envolvidos e crescimento do público interessado no evento. Por meio de colaboração e diálogo, da educação e de mobilização das comunidades, ampliam-se as chances de fazer com que o Estado garanta os seus direitos, proteja e defenda o patrimônio cultural e ambiental.

Como resultado prático dessa mobilização das comunidades para o turismo de base comunitária e a economia solidária, valoriza-se o seu modo de vida, a sua história, a sua cultura e as tecnologias sociais - elementos propulsores e fundantes da autonomia e liberdade democrática com responsabilidade para o desenvolvimento local.

Potencial de Inovação

Na continuidade de produção de conteúdos interativo como Museu Virtual,  Rádios Comunitárias,  Jogos Role Play Game (RPG), acervos digitais; criação de aplicativos para uso de jovens e adultos; tecnologias sociais; ecossocioempreendimentos inovadores; dentre outros elaborados colaborativamente e aplicados nas escolas das redes estadual e municipal, escolas e bibliotecas comunitárias, em  Centros de Educação Profissional - CEEP, grupos culturais e em outras iniciativas populares.

Projeto Turismo de Base Comunitária no Cabula e Entorno

O projeto TBC Cabula representado por seus 14 Eixos Temáticos, vem sendo executado desde 2010, contando com apoios MCTI/CNPq/MEC/CAPES Chamada 43/2013; FAPESB Nº  028/2012. POP - Pesquisa Científica; PROET-SUPROF-SEC/BA Nº 037/2012; FAPESB Nº 029/2012; FAPESB Nº 021/2010; e UNEB, por meio de bolsas de Iniciação Científica – IC e Monitoria de Extensão.

Para efeitos de conhecimento e informação sobre o projeto TBC Cabula, convida-se para:

a] visitar o Portal www.tbc.uneb.br e www.tbccabula.com.br

b] ver Cartilha informativa sobre Turismo de Base Comunitária disponível neste portal;

c] ler o livro Turismo de Base Comunitária e Cooperativismo, Eduneb, 2013;

d] dentre outras produções que constam nos lattes da equipe executora que fazem parte do Grupo de Pesquisa Sociedade Solidária, Educação, Espaço e Turismo - SSEETU.

Lembrando ainda que este projeto e suas ações vêm sendo contabilizadas na avaliação dos programas de pós-graduação como o PPGEduC e DMMDC, pela CAPES e CNPq.